quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

RODEIO INTERNACIONAL É CANCELADO EM CAXIAS DO SUL

O CTG Campo dos Bugres anunciou na segunda-feira dia 06 o cancelamento da 20ª edição do Rodeio Internacional, que ocorreria de 15 a 19 de março 2017. De acordo com o patrão Rubens Antônio Tisott, o principal motivo para não realizar o evento é o aluguel do parque da Festa da Uva.

"A prefeitura disse que não vai ceder o espaço para a realização. Em 30 anos, o poder público sempre foi parceiro. Em outras administrações, eles auxiliavam também na infraestrutura, como as arquibancada", compara Tisott.

Segundo o patrão, o aluguel pedido foi de R$ 120 mil. O gasto total na última edição foi de R$ 500 mil. O último rodeio ocorreu em 2015 e reuniu mais de 80 mil pessoas. O CTG não prevê nenhuma outra atividade em substituição ao evento.

O diretor-presidente da Festa da Uva, Cleiton De Bortoli, disse que o valor cobrado é o preço de tabela.
"Porque se aluga todo o parque em um evento desta grandeza. Na administração passada, quem pagava o aluguel era o município, porque tem todo um custo de manutenção", explica.

Desde o início do novo governo, o prefeito Daniel Guerra disse que todos os eventos do município devem ser autosustentáveis. O desfile do Carnaval deste ano de Caxias também foi cancelado por falta de recursos da prefeitura.

Fonte: http://gravadoravertical.com.br

José Mendes - 43 anos de sua passagem ao plano espiritual.


TRIBUTO AO TAURA GAÚCHO JOSÉ MENDES .
15-02-1974 15-02-2017.
São 43 anos da partida de nosso ídolo á estância celestial!

Nesta data eu estava com 11 anos de idade,e na localidade de NOVA LARANJEIRAS-PR e junto com meu velho pai , pegamos uma carona com um fazendeiro chamado Iujo Braga e quando entramos em sua velha picape WILLYS ,o rádio sintonizado na educadora AM de Laranjeiras do Sul!
Estava dando a notícia da morte de JOSÉ MENDES !Senti como se fosse alguém da família!

Trago esta lembrança até os dias de hoje !JOSÉ MENDES sua música ainda ecoa na Pampa Sulina !
Mesmo 43 anos após sua partida ! Hoje eternizada nas vozes de José Mendes Junior e Roberto Mendes !Tenho todos seus discos ,sou seu fã e administrador de sua page, José Mendes Cantor e Compositor !Muito triste sim com o que aconteceu,pensamos em sua família ,seus fãs.E tentamos nos conformar com o legado que ele nos deixou !!Despeço-me.


Administrador (Nilton Stephanes )!

Nilton Stephanes escreveu esse texto na sua página e me identifiquei pois foi o mesmo sentimentos de todos naquele 15 de Fevereiro de 1974, tristeza e dor em todos os olhares.


CONHEÇA UM POUCO A HISTÓRIA DE JOSÉ MENDES

Cantor, Compositor, José Mendes nasceu na localidade de Machadinho, no município gaúcho de Lagoa Vermelha. Com a separação dos pais, mudou-se para a cidade de Santa Terezinha, no distrito de Esmeralda, em 1944, passando a residir com pais adotivos.

Viveu em Santa Terezinha durante 14 anos, período no qual trabalhou como peão de estância e começou a fazer suas primeiras serenatas.

Começou a se interessar pela música aos 14 anos, formando pouco depois, com um amigo, uma dupla amadora chamada "Os Irmãos Teixeira".

Em 1958, foi prestar o serviço militar e mudou então para a cidade de Vacaria, onde se fixaria depois do serviço militar, decidindo, então, seguir a carreira artística.

Iniciou a carreira artística em 1960, quando se mudou para a cidade de Júlio de Castilhos, onde formou o trio Os Seresteiros do Pampa.

Em 1962, depois de excursionar pelo nordeste do Rio Grande do Sul e por algumas cidades de Santa Catarina, decidiu que era hora de gravar um disco, ou abandonar a carreira. Pediu dinheiro emprestado ao fazendeiro Irineu Nery da Luz, que lhe cedeu a quantia de 20 mil cruzeiros, para viajar até São Paulo. Na capital paulista, dormiu vários dias em bancos da rodoviária, alimentando-se de pão e banana.

Conheceu então os radialistas Zé Tomé da Rádio Tupi, e Teixeira Filho da Rádio Cultura, e os artistas Pedro Bento, Zé da Estrada, Zilo e Zalo, Palmeira, então diretor artístico da gravadora Continental e Biá, além do acordeonista Alberto Calçada, que tocou acordeom em seu primeiro disco.

Apresentou suas composições a Palmeira que o levou para gravar o disco pela Continental, aconselhando-o a colocar as músicas que eram todas dele em parceria com radialistas de São Paulo e Rio de Janeiro, para que tivessem divulgação.

Utilizando o nome artístico de Gaúcho Seresteiro, gravou o LP "Passeando de pago em pago", uma autêntica crônica de suas viagens pelo Rio Grande do Sul.

Nesse disco, gravou doze composições, todas de sua autoria, mas que acabaram aparecendo com diferentes parceiros, todos radialistas: a música título, com Sebastião Ferreira da Silva, "Roubei a fazendeira", com Carlos Armando, "Cantando ao luar", com Nino Silva, "Porteira do Rio Grande", com Teixeira Filho, "Não sou culpado", com José Teixeira, "Saudades de Júlio de Castilhos", com Leonel da Cruz, "Excursão catarinense", com Sertãozinho, "Sou do Rio Grande", com Milton Gomes, "Capital gaúcha", com Domingos de Palo, "Gaúcho gaudério", com Zé Tomé, "Sem teu amor", com Carlos Armando, e "Cruzaltense", com Coronel Narcizinho.

Depois da gravação do disco, retornou para a cidade gaúcha de Vacaria e, logo em seguida, mudou-se para a cidade de Porto Alegre, onde chegou a dormir dentro de carros em uma garagem na qual trabalhava um amigo.

Começou a fazer apresentações em cidades do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, a fim de divulgar o disco, fazendo isso por cinco anos.

Em Porto Alegre, apresentou-se em diversos programas de Rádio, entre os quais, "Festa na roça" apresentado por Nelson Souza na Rádio Itay, e "Programa Grande Rodeio Coringa", na Rádio Farroupilha, no qual conheceu Darcy Fagundes e Luiz Menezes que se tornaram grandes amigos seus.

Nesse período, participou de várias caravanas artísticas ao lado de nomes como Airton Pimentel, Os Araganos, Velho Mirongueiro, Os Mirins, Luiz Mullher, Portela Delavy, e as duplas Milton e Almerinda e Xará e Timbaúva, entre outros.

Numa dessas viagens, em companhia de Portela Delavy e Luís Muller, ocorreu um episódio que mudaria sua vida. Viajavam de kombi para a realização de um show, quando o carro quebrou e tiveram que pegar um ônibus.

A certa altura dois peões começaram a discutir até que um deles, para terminar o assunto falou: "Pára Pedro", e tornou a repetir "Pedro, pára". Estava dado o mote para ele e Delavy comporem o xote "Pára, Pedro".

A música foi apresentada primeiramente no programa radiofônico "Grande Rodeio Coringa" causando grande impacto, recebendo o incentivo de todos para que a gravasse.

Em 1967, voltou a São Paulo, a fim de gravar seu segundo disco. Foi recusado pela Continental e pela Chantecler, até que a gravadora Copacabana resolveu lançar "Pára Pedro" em compacto simples.

O disco tornou-se rapidamente um grande sucesso nacional e internacional, sendo regravado em diversos gêneros, por diferentes cantores na América Latina. O compacto vendeu mais de 600 mil cópias e se tornou o disco mais vendido do ano, o que lhe valeu da TV Gaúcha o "Troféu de Consagração popular".

Na época, uma reportagem da revista "O Cruzeiro" dava conta da enorme popularidade alcançada por ele: "Ligue o rádio e ouça. Esteja você em São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador, Recife, Porto Velho ou no Acre".

E até atravessando fronteiras, na Argentina, Uruguai ou Bolívia. Você poderá ouvi-la com o seu criador, um moço gaúcho, chamado José Mendes, ou com Raul Gil, Élcio Alvarez, Trio Irakitan, Os Araganos, e também em ritmo de iê-iê-iê, com os Brazilian Beatles, ou The Stranger's.

No mesmo ano, lançou o LP "Pára Pedro" que, além da música título, tinha ainda as composições "Picaço velho", "Surpresa da vida" e "Mensagem de saudade", de sua autoria e mais, "Mulher feia", com Noel Silveira, "Canto da siriema", com Leonel dos Santos, "Valsa do adeus", com Ney Fernandes, "Terra brasileira", com Luis Muller, e "Corações amantes", com Milongueiro, além de "Saudades de Lagoa Vermelha", de Elyo Theodoro, e " Terra que canto" e "Última lembrança", de Luis Menezes.

Nessa época, assim referiu-se a revista "Contigo" sobre ele: "Surge um vaqueiro sulino com melodias regionais, de chimarrão e bombacha, largando uma tremenda lenha em todo mundo, fazendo cair por terra as previsões de preferência popular.

No bar, no cabelereiro, em casa, no escritório ou à saída da missa, todos assobiam e cantarolam a história do Pedro que entrou numa festa lá na fazenda da Ramada. Todos querem imitar a velha apaixonada, no Pára Pedro! Pedro, pára!".

Em 1968, lançou, também pela Copacabana, o LP "Não aperta, Aparício", com música título de sua autoria e mais "Laços de Saudade" e "Não Chores Chinoca", de sua autoria, "Saudades de Vacaria", com Paulo Finger, "Vai embora tristeza", com Oiram Santos, "Pedras no caminho", com Cláudio Paraíba, e "Esmeralda", com Airton Pimentel, além de "O pranto dos meus olhos", de J. Pereira Jr.e Néco, "Pequena paisagem de amor", de Zaé Jr. e Theotonio Pavão, "Adeus Bragança", de Geraldo Nunes, e "Gaudério", de Luis Muller e Antoninho Duarte.

Ainda nesse, ano visitou o Rio de Janeiro e apresentou-se no "Programa do Chacrinha". Também em 1968, participou da coletânea "Carnaval Copacabana", que contou as presenças de diversos artistas como Ângela Maria, Gilberto Alves, Carequinha, e Roberto Silva, interpretando "Pedro no carnaval", de sua autoria e "Maria Antonieta", parceria com Paulo Finger.

Em 1969, atuou no filme "Pára, Pedro!", baseado em sua música, filmado pela produtora Leopoldis-Som, com roteiro de Antônio Augusto Fagundes e direção de Pereira Dias, sendo esse, o primeiro longa metragem colorido produzido no Rio Grande do Sul. O filme foi grande sucesso, permanecendo em cartaz por 23 semanas no Rio Grande do Sul, antes de se lançado no Rio de Janeiro.

Ainda em 1969, lançou pela Copacabana seu quarto LP, "Andarengo", disco no qual interpretou a música título e "Valsa das mães" , parcerias com Antônio Augusto Fagundes, "Uma aventura a mais", com Leonardo,
"Vá embora tristeza", com Oiram Santos, " Couringando" e "Fronteira que não faz fronteira", com Airton Pimentel, "Hei de amar-te até morrer", "Para amar não tem distância", e "Nasci para você", de sua autoria, além de "Parabéns", de Dimas Costa, "Brasileiro meu irmão", de Antônio Augusto Fagundes, e "Comadre Chica", de Otávio Pereira Rodrigues e Cláudio Lima.

Também em 1969, atuou no filme "Não aperta Aparício", baseado na sua música homônima, filme também com direção de Pereira Dias e que contou, entre outros, com as participações de Grande Otelo e José Lewgoy, sendo também um grande sucesso.

Em 1970, desfrutando de intensa popularidade, fez shows em quase todas as cidades gaúchas, além de se apresentar em Santa Catarina, Paraná, Amazonas, São Paulo e Rio de Janeiro.

Nesse ano, tornou-se, juntamente com o cantor Altemar Dutra, o artista brasileiro com disco mais tocado em Portugal.

Foi convidado para desfilar na Escola de Samba Unidos de Vila Isabel, saindo como destaque ao lado de Martinho da Vila no enredo "Glórias gaúchas".

Ainda nesse ano, lançou o LP "Mocinho do cinema gaúcho" cantando "História dos Pedros", "Acordeona do Nego Mendes" e "Gaúcho aventureiro", de sua autoria, "Palmeira das Missões", com Odalgiro Correia, "Roubei a fazendeira", com Carlos Armando, "Cantando minha palmeira", com Odalgiro Correia, "Três flores", com Nonô Basílio, "Quero beijar-te agora", de Gilberto Nedel e J. Martins, "Não espalha", de Airton Pimentel, "Moda de agora", de Senair Maicá e Gaúcho do Rincão, "Sangue criolo", de Lauro Rodrigues, e "Largo da felicidade", de Rubens Alcântara.

Uma outra comprovação do sucesso da música "Pára, Pedro" foi o lançamento, na época, dos bonecos com o nome "Pára, Pedro". Além disso, polícia carioca desencadeou a "Operação Pára, Pedro!" nos morros cariocas, e o cantor Wilson Simonal, que gravou a música, chegou a comprar um carro mustang, com os rendimentos obtidos com a gravação.

Suas músicas foram tocadas a partir de Portugal, na Áustria, Suécia, Suiça e Bélgica.

Em 1971, gravou o LP "Gauchadas" com sete composições de sua autoria: "Churrasco", com Luis Muller, "As coisas do meu rincão", "Conversa fiada", "Rodeio de Vacaria", "Minha acordeona", "Ciganinha", e "Lágrimas do adeus", além de "Roubo da gaita velha" e "Baile do Rancho", de Nilda Beatriz de Castro, "Três companheiros", de José Batista, "Palavra triste", de Oscar de Almeida Macedo e Oiram Santos, e "Chê Florência", de Oiram Santos.

Em 1972, filmou seu terceiro filme, "A morte não marca tempo", tendo como música de abertura a "Balada da solidão", parceria com Pereira Dias. O filme foi lançado em abril do ano seguinte.

Em 1973, lançou, pela Continental, o LP "Isto é integração" no qual interpretou obras de sua autoria como "Minha biografia", "Isto é integração", com Pereira Dias, "Prece", com Jaime Caetano Braun,
"Carancho", com Zequinha Silva, "Volta Benzinho", com Sonia Maria, e "Berço saudoso", com Paulo Lima, além de "Pago santo" e "Herança", de Telmo de Lima Freitas, "Uma Cruz em cada mão", de Luiz Machado e Celina Paiva, e "Mensagem de artista", de Bruno Neher e Deroi Marques.

Faleceu em 1974, no auge do sucesso, quando a camionete Veraneio na qual viajava com mais três pessoas, voltando do show em um circo na cidade de Pelotas, colidiu de frente com um ônibus na altura de Porto Novo na rodovia Rio Grande-Pelotas.

Nesse ano, foi editado o LP "Adeus Pampa querido", uma cópia do seu primeiro disco "Passeando de pago em pago" com as substituições das músicas "Passeando de pago em pago", por "Adeus Pampa querido", versão sua, para música de F. Canaro, M. Mores e Pelay, e "Excursão catarinense", substituída pela "Balada da solidão".

Em 1979, suas músicas "Carancho" e "Baile de Campanha" foram incluídas no LP "Gauchíssimo - Vol. 4", da Musicolor/Continental, que contou com participações de diversos artistas gaúchos entre os quais, Os Milongueiros, Gildo de Freitas, e Berenice Azambuja.

Em 2002, foi homenageado com a publicação do livro ""Pára, Pedro - José Mendes - Vida e obra", de Ajadil Costa.

Nesse livro, o autor afirma que: "Passados quase 30 anos é firme a devoção ao mito José Mendes. Existem hoje diversos louvores em todo o Rio Grande, em sua lembrança: nome de ruas em diversas cidades espalhadas pelo Estado. Homenagens em diversos programas de rádio e festividades em muitas cidades exaltando sua memória."

Em 2004, em sua homenagem, foi feita a cavalgada "José Mendes de volta a querência", uma iniciativa da Prefeitura Municipal de Esmeralda e da Universidade de Caxias do Sul, com coordenação de Nilson Hoffmann. A cavalgada destinou-se a transladar os restos mortais do cantor e compositor enterrado em Porto Alegre, para a cidade de Santa Tereza, seu berço natal.

Em 2006, o "Memorial José Mendes", localizado no município de Esmeralda, foi transformado em patrimônio cultural do Estado do Rio Grande do Sul.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

TU SABES COMO É FEITA UMA MÚSICA?

Pois bem, vou tentar explicar. Uma música, essa mesmo que queres baixar de graça, achando que está valorizando o artista, até ela chegar ai ela precisou:
- Poesia ou verso - alguém que escreva os versos - A pessoa que escreve versos chamamos de poeta ou compositor. Muitos gostariam de ser, mas talvez 1% da população consegue ser e para ser poeta tem-se que estudar muito, ler muito, comprar livros e tudo isso tem um custo, claro que ganha-se culturalmente.

- Um Músico - É quem vai fazer a melodia, o qual chamamos de músico, arranjador ou compositor. Esse músico, muitas vezes além de estudar muito, ele fica horas, dias de seu tempo, achando nuances, formas, escalas, notas, tons, para compor a música do poema que recebeu, talvez 2% da população seja músico.

- Arranjos - Depois ele junta-se com mais alguns outros músicos e faz os arranjos, ou seja, mais pessoas envolvidas, com tempo e trabalho.

- Gravações - Depois dos arranjos prontos, vão-se aos estúdios, que cobram em torno de 150 a 200 reais por música, lá junta-se de 6 a 10 pessoas para finalizar essa música, com instrumentos muitas vezes que valem de 3 a 4 mil reais para fora, tendo acordeons que valem 30 mil reais, além outros instrumentos...Então esses músicos tem que serem pagos para fazerem a gravação.

- Masterização - Após a gravação, tem a masterização, que é feito em outro Estúdio com equipamentos de ultima geração e com valores exorbitantes - normalmente são mais duas pessoas.

- Prensagem - Esse material depois de pronto vai para a prensagem, que certamente dá emprego para mais pessoas, além de despachos, motoristas, transportes, etec...

- Arte e capa - A parte da arte gráfica, feita obviamente, em uma gráfica, requer fotolitos, fotografias, criação e prensagem da arte, isso mais empregos para mais pessoas.

Depois de isso tudo pronto, além dos gastos que hoje não baixam de 30 mil reais para 1000 CDs, e emprego para mais de 30 pessoas, aqueles que se dizem fã ou amigos querem um CD de graça, além é claro, das Rádios, dos blogs, e não contente com isso as pessoas ainda querem que o CD esteja de graça na web para que o artista seja conhecido. 
Se tu realmente é um apaixonado pela música e pela arte, tu tens que ser o primeiro a valorizar o que cada artista faz, comprando o seu produto final e não apenas buscando em páginas da web o resultado que um blog coloca de graça, porque na verdade tu não está ajudando o autor, tu és mais um que está afundando com ele e fazendo com que ele não seja valorizado, porque aquele que tem de graça a arte ou o trabalho de outro, onde está a valorização?
Pense, reflita e seja o primeiro a ajudar a mudar isso.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

CTG Negrinho do Pastoreio


CTG Negrinho do Pastoreio, da minha bela São Francisco de Assis, se prepara para um dos maiores rodeios da sua história, visto que o CTG tem mais de 60 anos e nunca teve tanta gente procurando para participar desses 4 dias de festa na sede Campeira Ezequiel Aguiar.

Com uma estrutura das mais belas, mutia sombra, banheiros limpos, vestiários, potreiros de boa aguada tanto para os cavalos, quanto para o gado que passará em pista, além é claro de restaurantes, e muito aconchego para os visitantes.
Serão diversas modalidades de laço. Laço de dia, laço à noite, laço prenda, laço pais e filhos, laço individual, laço família, enfim, com a preocupação de fazer uma festa campeira da maiores e mais diversificadas, o CTG conta com a presença maciça do publico, com arquibancadas e muita sombra e água fresca.
Todos com os olhos voltados para esse final de semana, de 16 a 19 de Fevereiro de 2017, a terra vai tremer na querência do bugio.
Todos convidados.

PREMIAÇÃO DO CANTO DO JAGUAR


Eu procurei uma foto que resume esse final de semana no 8º CANTO DO JAGUAR, acho que é filha do Magno Bittencourtt, uma menininha de uns 3 ou 4 anos que cantou no Jaguarzinho, mostrando o quanto a arte e a cultura nos premia...a vida nos premia. 
Quero agradecer o Nilton Ferreira, e todos sabem e se não sabem o Nilton é um irmão, mas não essa palavra irmão para apenas se referir a amigo. Irmão de sonhos, irmão de estrada, irmão de tempo, quando o Rio Grande e o mundo se encantava com a arte dos festivais, nós sonhávamos entre as paredes frias de um apartamento na Pinheiro Rocha, na nossa São Chico. Tempos árduos, tempos difíceis, sonhos grandes, momentos escassos...mas nunca desistimo. Agradecendo ao Nilton agradeço a toda a sua equipe, magníficos em tudo, tudo perfeito: Som, comida, as meninas do cadastramento, a copa, a limpeza do banheiros, o moreno da limpeza, o lugar, tudo perfeito. Jaguari nos orgulha por ter um povo assim. 
Eu ia escrever sobra a premiação, mas que premiação, onde todos são premiados? onde é a arte, quem ganha? onde o companheirismo e as amizades é o que ficam? Quanto aprendizado e apenas três dias. Quantas amizades conquistadas, em apenas três dias. Quanto carinho das pessoas, que não são do meio, mas nos olham com olhar de afeto, de carinho, e quando uma pessoa te abraça e te agradece por ter feito algo bonito, ela não se dá conta que é nós que devemos agradecê-la, pois são pessoas quais a elas que queremos ouvindo com o coração e muitas vezes com olhos cheios de água. O tema ja dizia isso: Ninguém consegue prender a alma, nem a arte, nem a poesia, e é certo que não vamos mudar o mundo com a poesia, mas se pudermos mudar um pouco a nossa vida nesse mundo, com a poesia, já valeu a pena.
Teria a tantos a agradecer: Meus parceiros de música, Regis Regis Reis e Dartagnan Portella, além dos meus amigos, Patricio Mainada, Rafael Veiga, Pedro Gomes e Diego Machado, que me emocionaram com uma apresentação impecável de uma obra escrita num dos momentos mais dificeis que passamos, DO AMOR QUE VIVE EM MIM, escrita no corredor do quarto 50 do Hospital de Caridade, enquanto na sala de cirurgia, minha Mãe passava por uma longa cirurgia de uma válvula na cabeça e os mentores que me guiam, me ajudaram a escrever esse tema para ela, porque aquele poderia ser o último momento, o que não aconteceu e ela, hoje, está ótima e com muita saúde.
Talvez as pessoas não saibam, mas isso é arte, isso é encontro de arte e são momentos quais a esses que nos fortalecem e são combustíveis para acreditar que nossa arte não tem tarjas, não tem conceitos, não tem regras e os que fazem da arte uma regra, campeira ou urbana, fronteira ou litorânea, serrana ou Missioneira são benzedores de tormenta no agreste do cerrado, onde nem chuva cai. 
Obrigado Jaguari, Obrigado Canto do Jaguar, obrigado a todos que nos premiam e nos presenteiam com a arte e com a poesia, pois todos nós somos vencedores.
Que Deus abençoes a todos nós

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

8º Canto do Jaguar - começa hoje.


Começa hoje, na bela Jaguari dos meus encantos, o 8º Canto do Jaguar, mais um encontro de amigos num evento recheado de amizade, cultura, poesia, músicas e comida boa. Serão três dias de muito aprendizado e conhecimento, ás sombras copadas, sentindo o ar fresco da bela e encantada Jaguari.

O Canto do Jaguar tem à frente o meu amigo Nilton Ferreira que sempre incansável e um preocupado pela cultura dessa bela terra e certamente em mais uma ano esse encontro servirá para fomentar a arte e acultura da região centro, além é claro, de rever os amigos que os palcos lhe deu.
Que ainda estiver interessado em ir, é só entrar em contato com o Nilton Ferreira na sua página na web, levar barraca e forros e um 100 contos para custear as despesas de bóia. No mais vai encontrar amigos,, cara alegre, cultura e boa música.
Estaremos por lá representando o Canto do Jacacuá e a nossa São Chico de Assis.

32° Carijo da Canção Gaúcha

C
omissão anuncia detalhes do festival

Em uma coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (9), no Centro Cultural Mozart Pereira Soares, a comissão organizadora do 32° Carijo da Canção Gaúcha anunciou algumas informações pertinentes ao evento e sua programação. Patrimônio Cultural do Rio Grande do Sul e integrante do calendário oficial de eventos do estado, o 32° Carijo acontecerá de 25 a 28 de maio de 2017, em Palmeira das Missões, no Parque de Exposições.
Os shows que animarão o público desta 32ª edição serão, na quinta-feira, dia 25, Luiz Marenco; na sexta-feira, dia 26, Caravana Chamamecera, com Os Fagundes, Élton Saldanha e Alejandro Brittes; no sábado, dia 27, acontece o show baile com o Grupo Rodeio, que promete até cinco horas de apresentação. Já no domingo, dia 28, o público prestigiará o espetáculo do Guri de Uruguaiana, que mistura música, tradicionalismo e humor.
Os apresentadores serão os conhecidos Liliana Cardoso Duarte e Zeca Amaral, que tão bem conduziram as apresentações das concorrentes ao 30° Carijo. Quanto ao corpo de jurados, será formado por Adams Cezar, Vaine Darde, Carlitos Magallanes, Adão Quintana e Aurélio Moraes.

Lei Rouanet
Neste ano, a Prefeitura Municipal de Palmeira das Missões, responsável pela realização do festival, conseguiu a aprovação do projeto do 32° Carijo da Canção Gaúcha pelo Ministério da Cultura via Lei Rouanet, na área de patrimônio cultural e segmento: preservação de patrimônio imaterial. Por este motivo foi possível enquadrar o projeto no artigo 18, o que permite a dedução de 100% do valor do patrocínio no Imposto de Renda das empresas patrocinadoras, facilitando a captação de apoiadores. O presidente Junior também salientou a continuidade da Mostra da Indústria, Artesanato e Serviços de Palmeira (MIP), que estará em sua 16ª edição, bem como o Carijinho da Canção Gaúcha, que vem revelando talentos locais e de todo o estado, tendo ganhado nas últimas edições uma atenção especial, com suas apresentações no palco principal e gravação de CD e DVD.

Novos desafios
Com a reformulação da Administração Municipal no início deste ano, a secretária municipal de Educação, Nirlene Boeri, passou a ser a responsável pelas pastas da Cultura e Turismo e também Esporte e Lazer. Durante a coletiva de imprensa, Nirlene falou sobre o trabalho realizado nestes quatro anos frente à Educação, e dos desafios que as novas secretarias devem impor. “Nenhum projeto da Cultura ou do Esporte será cortado, pelo contrário, queremos ampliar as atividades, uma vez que já redirecionamos alguns funcionários para atuarem nas respectivas pastas”, garantiu ela.
Quando ao Carijo, Nirlene argumentou que a Educação sempre foi a responsável pela realização do Carijinho, portanto já conhece as responsabilidades que o evento impõe, guardando as proporções que o Carijo possui. Como ponderou ela, alguns detalhes do festival já vinham sendo analisados antes do fim do ano, devido à reserva de datas com artistas, por exemplo. Em breve, o prazo de inscrições para as músicas concorrentes será divulgado, bem como a data da triagem.

Fonte: Assessoria de Imprensa PM

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

História do Grupo Rebenque

O Grupo Rebenque foi fundado em 1991, na cidade de São Francisco de Assis (Capital Mundial do Bugio), porém hoje se localiza no município de Cachoeirinha. Nos anos 90 saíram do interior de São Francisco de Assis, onde eram conhecidos com o nome “Os Mandurins”. Os irmãos Antônio, Jesus e Amir, chegaram à cidade e ao balanço de um Veraneio, embalaram os fandangos pelo interior do município e depois na cidade, e em outros municípios também, já com o nome “Rebenque”.


Hoje o Grupo Rebenque tem cinco CDs gravados, citando dois de seus sucessos, um LP lançado em 1995 com o título “Estilo Campeiro”, e em fevereiro de 2014 o Grupo Rebenque lança seu CD “Dê-lhe Vaneira”. Com 14 faixas, o disco aposta em Vaneiras, como a faixa-título e Ronco da Gaita Véia, o xote Rincão do Espinilho e a milonga Nunca Vou te Esquecer.



Colecionam participações em vários programas de TV, rádios e festivais, incluindo o Rio Grande Canta Erval, o Primeiro Grito Pampeano de Canarana, Mato Grosso, terceiro Festival de Conjuntos da Rádio Liberdade FM, sendo que foi vencedor do Festival Querência do Bugio de São Francisco de Assis.


Em junho de 2014, o Grupo Rebenque subiu a serra para mostrar a qualidade da sua música fandangueira em uma gravação do programa Etnias, que é apresentado por Xiru Pereira, e do programa Terra, que é apresentado por Omair Trindade. 
Link da Gravação do programa:
https://www.youtube.com/watch?v=haiCR7bFZIQ
Em uma matéria para o Escuta Essa do “ClicRBS”, Rogério Melo, da dupla com César Oliveira, menciona o “Grupo Rebenque”, desejando muito sucesso ao grupo e dê-lhe vaneira!

Hoje o Grupo Rebenque é gerenciado pelos Irmãos Jesus Marques, Amir Marques e Rafael Marques (filho de Jesus Marques). O Grupo disponibiliza uma excelente estrutura de som e luz e ônibus de primeira qualidade fazendo seus shows e bailes serem altamente profissionais de grande excelência.

Sempre levando a cultura gaúcha no peito, tocando suas músicas autênticas e fandangueiras do nosso Rio Grande Do Sul, sem perder a essência do tradicionalismo. Um grupo que por onde passa leva toda a sua alegria para os palcos, respeitando a nossa tradição sempre.

Profissionalismo de 26 anos de história!! 
CONTRATE GRUPO REBENQUE:
Shows, Rodeios, Formaturas, Bailes, Sarau de Prendas, entre outros eventos artísticos. 

O Grupo Rebenque está com sua agenda de 2017 aberta, entre em contato pelos telefones:
51 99629.2008 / 51 99465.6837 / 51 98114.6132 com Jesus Marques WhatsApp: 51 98936 6369

Fontes: 

Editado:
Michele de Oliveira Bermann - 1ª Prenda do CTG Campeiros do SulCarolina Bouvie - Cantinho Gaúcho

MATÉRIA TIRADA NA INTEGRA DO BLOG 
http://cantinhogaucho.blogspot.com.br

CD FESTIVAIS


Mais um projeto chegando com o CD FESTIVAIS com músicas que estiveram pelos palcos dos festivais nesses últimos anos e que tem a nossa assinatura nos versos e melodias e interpretação de diversos cantores desse Rio Grande. Temos ai Eu e o João de Barro, música vencedora da 8ª Viola de Todos os Cantos de São Paulo, Tempo Sonho e Solidão, vencedora da Querencia do Bugio, Quando a Guitarra Perde a Alma, premiada no Canto do Hervais de Palmeiras das Missões, No Silêncio de um Adeus do 1º Moinho da Canção, e tantas outra músicas dos festivais.
Confira ai:
01 - EU E O JOÃO DE BARRO – Arison e Emerson
         (Paulo Ricardo Costa  / Emerson Martins)
02 – UM PONCHO PRA TEUS OLHOS – Miguel Marques
         (Paulo Ricardo Costa  / Valdor Alves de Moraes)
03 – QUANDO UM FILHO PEDE COLO – Jean Kirshoff
         (Paulo Ricardo Costa / Fábio Henrique Zappe / Ramires Monteiro)
04 – SAUDADE QUE CHORA – Eraci Rocha
         (Paulo Ricardo Costa / Emerson Martins)
05 – PRA O TEU SORRISO – Emerson Martins
        (Paulo Ricardo Costa / Márcio Lannes)
06 – NA PAZ DO CAMPO – César Lindemayer
        (Paulo Ricardo Costa / Severino Moreira / Diego Muller / Sérgio Rosa)
07 – QUANDO A GUITARRA PERDE A ALMA – Dartagnan Portella
        (Paulo Ricardo Costa / Regis Reis / Dartagnan Portella)
08 – TEMPO SONHO E SOLIDÃO – Jean Kirshoff
        (Paulo Ricardo Costa / Regis Reis / Márcio Lannes)
09 – SINGRANDO SONHOS – Arison Martins
        (Paulo Ricardo Costa / Arison Martins / Emerson Martins / Thiago Ramos)
10 – NO SILÊNCIO DE UM ADEUS – Luciano Rodrigues
         (Paulo Ricardo Costa / Lucas Mendes)
11 – NA SOLIDÃO DE UM DOMINGO – Marcelinho Carvalho
         (Paulo Ricardo Costa / Marcelinho Carvalho)
12 -  BRUMAS DO AMANHECER – Miguel Marques
         (Paulo Ricardo Costa / Salvador Lamberty / Miguel Marques)
13 – NA TAPERA DE UM CORAÇÃO – Amilton Brum
         (Paulo Ricardo Costa / Amilton Brum)
14 – DEPOIS QUE A TROPA SE ESTENDE – Eri Cõrtes e Robledo Martins
         (Paulo Ricardo Costa / Eri Côrtes)
15 -  DE UMA TARDE DE DOMINGO – Thiago Machado
         (Paulo Ricardo Costa / Thiago Machado)
16 – ESTÂNCIA DOM AGRIPINO – Enio Medeiros
         ((Paulo Ricardo Costa / Cristiano Rodrigues)
17 – NO SOSSEGO DA CASA VELHA – Arison Martins e Emerson Martins
        (Paulo Ricardo Costa e Emerson Martins)
18 – QUANDO O PASSADO NÃO PASSA – Dartagnan Portella
         (Paulo Ricardo Costa / Regis Reis / Dartagnan Portella)
19 – SINA DE DOMADOR -  André Teixeira
         (Paulo Ricardo Costa / Rodrigo Raskopff)


34º Rodeio Crioulo do CTG Negrinho do Pastoreio

São Francisco de Assis se prepara para mais uma grande festa, o 34º Rodeio Crioulo Interestadual do CTG Negrinho do Pastoreio com uma vasta programação que tem tiro de laço, pealo, bailes, shows, laço a noite, laço de dia, laço por equipe, laço dupla, laço feminino, enfim, serão 4 dias de muita festa na Capital Mundial do Bugio. Dos dias 16 a 19 de Fevereiro de 2017 e passará pela pinta de Rodeios Ezequiel Aguiar os maiores laçadores do estado nessa que já está sendo considerado um dos maiores eventos da fronteira oeste do estado, não só pela organização, mas bem como pela receptividade do povo assisense.
Venham todos para quatro dias de muita festa, onde a tradição e a cordialidade estarão irmanadas, sempre levando a arte e tradição deste Rio Grande.
A patronagem do CTG Negrinho do Pastoreio e a comunidade assisense espera a todos de braços abertos.
Mais informações e a programação completa na pagina do CTG Negrinho do Pastoreio, na web, 

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Um Novo Grupo um Novo Tempo

Está nascendo em São Chico de Assis um novo grupo, com músicos consagrados, muitos deles que á já faziam carreira solo e que voltaram a se encontrar e fazer a boa música fandangueira, no estilo campeiro num balanço de encher a sala. 
O Grupo Baile Gaúcho como o próprio nome diz, já chega trazendo um CD Num Toque Bem Fandangueiro estilo esse que começam a leva pelos palcos desse Rio Grande, e sua estréia para o público vai ser nesse dia 17 de Fevereiro por ocasião do Rodeio do CTG Negrinho do Pastoreio.
O Grupo composto por 06 componentes de palcos, três cordeonas, baixo, guitarra e bateria, onde todos também cantam, tem uma ótima estrutura de palco, com equipamentos de som e luz de ultima geração, além de uma equipe de mais 4 pessoas só para deixar seu evento com a qualidade que merece.
Que quiser mais informação sofre esse grupo, entre na sua página na web https://www.facebook.com/BaileGauchoOficial/?fref=ts   ou em contato com a NZ Produções 55 3252-2983 e 55 99912-4230
Lhes garanto que seu fandango será animado por um dos grandes grupos desse estado.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

1º ESQUILA E VINDIMA - Encruzilhada do Sul - RS


1º ESQUILA E VINDIMA - DIAS 05, 06 E 07 DE MAIO DE 2017 - Encruzilhada do Sul - RS

Surge um novo festival de músicas inéditas no horizonte do nativismo gaúcho. Trata-se do 1º Esquila e Vindima do Canto Xucro, que acontecerá nos dias 05, 06 e 07 de maio de 2017, a sede do CTG Rodeio de Encruzilhada. Inscrições até 25 de março, exclusivamente por email. Confiram o regulamento.

REGULAMENTO:
Item 1 – OBJETIVOS
São objetivos do festival:
a) Somar-se a todos os esforços em favor da valorização e revitalização da cultura Rio-grandense;
b) Proporcionar condições de mostra, apoio e integração do artista gaúcho diante de si e do público;
c) Premiar e divulgar os mais destacados trabalhos, incentivando novos valores dentro de nosso universo cultural;
d) Preservar a cultura popular em suas mais puras manifestações.
Item 2 – OBJETIVOS SOCIAIS
e) Integrar a comunidade com os valores culturais Rio-grandenses;
f) Incentivar o setor público a cultivar as tradições gaúchas;
g) Alavancar novos talentos dentro de nossas tradições, dando-lhes oportunidade de reconhecimento público;
h) Textualizar e fortalecer a integração do povo gaúcho com a história e suas raízes;
i) Materializar o conceito de tradição e cultura junto com a população.
Item 3 – CONCURSO DE MÚSICA
1) As composições inscritas deverão versar sobre os usos, costumes e as lides do campo, representando as raízes da cultura regional gaúcha e grande pampa, tanto na letra, como no ritmo e instrumentos utilizados.
2) Será obrigatório o uso de indumentária gaúcha pelos integrantes dos grupos que defenderão as composições nos dias do festival;
3) Poderão participar do festival, compositores de todo o Brasil, que apresentarem composições inéditas, tanto em letras quanto melodias. Entenda-se por Inéditas aquelas obras que não foram gravadas e/ou divulgadas em qualquer tipo de mídia;
4) As composições classificadas na triagem de quaisquer outros festivais do gênero, que foram apresentadas, mas não compõe o CD/DVD do evento serão consideradas inéditas;
5) As composições não poderão exceder o tempo máximo de seis (6) minutos;
6) O festival será composto de duas fases:
a) REGIONAL: Composições ou melodias de autores que residam ou sejam naturais do município e das cidades que fazem limites geográficos com Encruzilhada do Sul(RS).
b) ESTADUAL: Demais cidades
7) Em qualquer circunstância, nenhum intérprete, compositor ou músico poderá participar em mais de duas (2) composições no evento;
8) O número de participantes do grupo defensor de qualquer composição devera ter um mínimo de quatro (4) e não poderá exceder a sete (7) pessoas; devendo permanecer inalterado em caso de classificação na Fase REGIONAL para apresentação na Fase ESTADUAL;
9) O não ineditismo, não captado pelas Comissões Organizadora e/ou Julgadora, poderá ser objeto de denúncia, por escrito e com provas suficientes, com antecedência mínima de 60 minutos, em relação ao início da apresentação das concorrentes da sexta-feira.
10) Será dado amplo direito de defesa à denunciada;
11) A denúncia, se julgada procedente pelas Comissões, desclassificará automaticamente a concorrente.
Item 4 – INSCRIÇÕES
12) O período de inscrições será até o dia 25 de Março para ambas as fases;
13) As inscrições serão efetuadas exclusivamente através do endereço eletrônico ctgrodeio@hotmail.com;
14) No e-mail de inscrição, os autores deverão anexar os seguintes arquivos:
I - Ficha de inscrição de acordo com o modelo disponibilizado pela Comissão Organizadora;
II - Arquivo de áudio, em formato MP3, com a música a ser avaliada;
III - Letra, digitada em arquivo Word, fonte Arial 14, não podendo constar nenhuma identificação dos autores;
15) O compositor habilitado a participar da Fase Regional, poderá inscrever sua obra diretamente na Fase Estadual, caso seja esta a sua preferência;
16) As inscrições serão gratuitas;
Item 5 – SELEÇÃO DAS COMPOSIÇÕES CLASSIFICADAS
17) A triagem ocorrerá nos dias 01 e 02 de Abril e será realizada pela Comissão de Triagem, formada pelos jurados do festival;
18) As composições inscritas para a Fase Regional, que não obtiverem classificação, poderão, a critério da Comissão Avaliadora, serem avaliadas junto às obras inscritas na Fase Estadual;
19) Serão classificadas 12 composições para a Fase ESTADUAL e 06 para a Fase REGIONAL.
20) Quando da triagem para a Fase ESTADUAL, serão selecionadas 02 suplentes para substituir alguma composição que venha a ser desclassificada ou não confirme sua apresentação no festival;
21) As 18 classificadas deverão confirmar a participação até o dia 07 de Abril;
22) Deverá ser enviada através do mesmo e-mail de inscrições, Ficha Técnica contendo informações sobre o grupo que defenderá cada composição; até o dia 23 de Abril;
23) A 06 (seis) músicas classificadas para a Fase REGIONAL, serão todas apresentadas em noite única, na Sexta-feira (05/05/2017);
24) A comissão avaliadora destacará 02 (duas) composições da Fase REGIONAL que, somadas as 12 (doze) classificadas para a Fase ESTADUAL, concorrerão entre si nas demais noites do festival.
24) As 14 composições da Fase Estadual formarão dois grupos de 7 (sete) músicas, que serão avaliadas no Sábado (06/05) e no Domingo(07/05)
26) A ordem de apresentação da Fase Regional, será definida através de sorteio, efetuado logo após o término dos trabalhos de triagem.
27) Os autores das obras concorrentes, poderão sugerir permutas na ordem de apresentação, desde que sejam entre si e devidamente comunicadas à Comissão Organizadora do festival, respeitando a data limite de 28 de abril;
28) A ordem de apresentação e o grupo a que farão parte as composições classificadas para a Fase Estadual, serão de inteira responsabilidade da Comissão Organizadora, que as ajustará na forma que melhor atender aos participantes e ao Festival;
29) As 2 (duas) composições classificadas da Fase Regional para a Estadual serão direcionadas cada uma em um grupo. O grupo em que cada uma participará será definido através de sorteio logo após o anuncio na sexta-feira, das classificadas e encerrarão as apresentações do sábado e domingo.
30) As composições classificadas nas Fases Regional e Estadual, em número de 14 (quatorze) deverão enviar autorização expressa dos compositores da letra e melodia, com assinaturas reconhecidas em cartório, até o dia 19/05/2017, para que as obras sejam incluídas no CD/DVD oficiais do 1º Esquila e Vindima do Canto Gaúcho.
Item 6 – PRÊMIO POR CLASSIFICAÇÃO
31) Os autores de cada composição classificada na triagem da Fase Estadual receberão o valor de R$ 1.500,00 (hum mil e quinhentos reais), á titulo de prêmio por classificação, pagos logo após a apresentação da música no palco do festival;
32) Os autores das composições classificadas para a Fase Regional, receberão o valor de R$ 800,00 (quinhentos reais), á titulo de prêmio por classificação, pagos logo após a apresentação da música no palco do festival;
33) As 2 (duas) composições da Fase Regional, que conquistarem classificação para a Fase Estadual, receberão um bônus de R$ 700,00 (setecentos reais).
Item 7 – JULGAMENTO
34) A Comissão Julgadora será composta por três (3) integrantes com reconhecidas credibilidade e conhecimento técnico;
35) Na ultima noite do festival, durante o espetáculo de intervalo, o público elegerá, através de cédulas, a música Mais Popular da 1ª Esquila e Vindima.
36) Os votos serão apurados pela Comissão Julgadora, juntamente com a Comissão Organizadora.
37) Não caberão recursos às decisões da Comissão Julgadora.

COMISSÃO AVALIADORA
Carlos Madruga
Jaime Brum Carlos
Loma Pereira

Item 8 – PREMIAÇÃO
38) Serão premiados com o Troféu Bumba-Meu-Boi (Maior Festa Popular do município), mais a quantia de R$ 500,00 (quinhentos reais), os seguintes destaques:
a) Melhor Arranjo
b) Melhor Instrumentista
c) Melhor Intérprete
d) Melhor Poesia
39) A Música Mais Popular receberá o Troféu Paredão do Rio Camaquã (Ponto Turístico), mais o valor de R$ 750,00 (setecentos e cinquenta reais);
40) A premiação principal do 1º Esquila e Vindima é a seguinte:
a) Primeiro Lugar: Troféu Santa Bárbara (homenagem à padroeira do município) e R$ 3.000,00 (três mil reais).
b) Segundo Lugar: Troféu Fazenda da Lapa (Residência do 1º Bispo do RGS) e R$ 2.250,00 (dois mil, duzentos e cinquenta reais);
c) Terceiro Lugar: Troféu Cerro Partido (Ponto Turístico) e R$ 1.500,00(hum mil e quinhentos reais);
41) IMPORTANTE: Sobre estes valores da premiação, serão descontados os devidos impostos e os eventuais encargos previstos na instrução do Sistema Pró-Cultura RS;
42) Os valores das premiações serão pagos em cheque nominal a pessoa credenciada na Ficha de Inscrição.
Item 9 – DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS
43) Os custos, pernoites, alimentação, locomoção, equipamentos musicais, entre outros, serão de inteira responsabilidade dos participantes.
44) As dúvidas e questões omissas no presente regulamento, serão dirimidas soberanamente pela Comissão Organizadora, não cabendo qualquer recurso a ela.

CONTATOS: 
E-mail: ctgrodeio@hotmail.com
Fone: (51) 995.634.303

COMISSÃO ORGANIZADORA: 
CUCA NETO - Presidente JBA PRODUÇÕES CULTURAIS Fone: (51) 999.593.635 Fone: (51) 995.634.303 
E-mail: kukaneto@hotmail.com E-mail: produtora.jba@hotmail.com

Premiação do 8º Canto do Jacaquá

Nos dias 27, 28 e 29 de janeiro, aconteceu a 8ª edição do Festival Canto do Jacaquá, o evento foi realizado no Parque de Exposições do Sindicato Rural e contou com a participação de diversos instrumentistas, cantores e compositores de diversas partes do Estado e até mesmo fora dele.

Mais uma vez o evento, que é organizado pelo Grupo de Arte e Cultura Querência do Bugio, foi um sucesso. O público presente teve a oportunidade de ouvir lindas composições e poesias que subiram ao palco nas duas primeiras noites de evento.

Ainda na madrugada de sábado (28), foram conhecidos os vencedores do festival, que pela 4ª edição seguida teve como grande campeão Ivo Bairros de Brum, com a composição "Somente uma passagem", defendida pelos irmãos Arison e Emerson Martins.

Confira abaixo a premiação completa de sexta e sábado:
POESIA INÉDITA
1º Lugar: Eternamente
Bianca Bergman

2º Lugar: Silêncio da coxilha
Flávio Marote

3º Lugar: Na ponta dos dedos 
Fabrício Vargas

MÚSICA INÉDITA
1º Lugar: Ausências
Rômulo Chaves e Robledo Martins

2º Lugar: Pelas mãos do meu pai
Jairo Martins

MÚSICA TEMA
1º Lugar: Somente uma passagem
Música: Arison Martins / Emerson Martins

2º Lugar: Olhos tristes
Letra: Carlos Omar Vilella Gomes 
Música: Robledo Martins

3º Lugar: Pelos rumos do tempo
Letra: Fabrício Vargas 
Música: Patrícia Pedroso

MÚSICA MAIS POPULAR
Gaudêncio
Letra: Luciano Rosalino
Música: Talisom Salcedo

TROFÉU "QUE XAIRA"
Nito

Texto: Valdinei Marques

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Essa menina é de ouro

Para quem ainda não ouviu ou ainda não conhece o dia que conhecer essa menina vai se surpreender. Uma "picurrucha" que parece ainda usar fraldas, mas que quando sobe num palco para cantar ou declamar deixa muitos marmanjos no chinelo. O encantamento e a forma como leva a arte musical e poético, só nos dão a certeza que tem pessoas que ja nascem prontas, são pedras preciosas que apenas lapidamos para que brilhe mais, porque seu brilho não se ofusca com tempo feio. 
Luiz Barbosa Dias ou apenas Luizinha, uma menina meiga, sorridente, comprometida com o que faz e muito profissional. É natural de Igrejinha, mas que reside em Sapiranga, cidade das rosas...Seus prêmios pelos festivais já são muitos, mas destaco o Canto Missioneiro de Santo Angelo e a Gauderada da Canção de Rosário do Sul, além de passar por palcos como a Tertulia Nativista que encantou a todos e a Tertulia da Poesia que fez muitos chorarem com a interpretação de "A Menina que só queria crescer" de Bianca Bergmam.
Parabéns Luizinha, fiquei muito feliz em ouvir um modesto trabalho meu na tua voz e que se um dia estiver em algum palco sei me tornarei grande para chegar a tua altura e te aplaudir.
Continues assim, simples, meiga, carinhosa e acima de tudo comprometida com o que faz, porque é na simplicidade da alma que mora o bem querer.
Sucesso menina, sou um dos teus admiradores, antes secreto, agora não mais. 

A hora do Sim - Madruga e Thainá

Um dia, na solidão deste rancho, já sabendo desse amor, escrevi um tema, simples, porque queria presenteá-los, visto o carinho e a admiração que tenho por esses dois irmãos que a vida me deu e hoje poder vê-los felizes cantando esse modesto tema, no momento mais importante desse amor, na hora do "sim", me deixou com a certeza que a arte não tem preço, tem valor, e esse valor não hay cifras que pague. Foi, talvez, uma das maiores emoções que tive e gostaria que meus amigos assistissem. 
Deixo aqui esses modestos versos, para que todos possam ver o quanto vale à pena transcrever o que "eles" nos emprestam, essa é a razão maior de se fazer versos... 
Felicidades meu irmãozinho Madruga e Thaina Azzolini Braz. Que Deus abençoes esse matrimônio e que seja eterno, frutificando 

e nos ensinando a amar.
Um Rancho ao Sul do coração!
Tenho um rancho bem ao sul do coração...
Onde a razão abre as portas à luz do sol,
E a vida rude que por vezes se faz amarga,
Adoça os sonhos pra bem antes do arrebol;

Cevo um mate “ajujado” com o meu carinho...
E deixo na bomba a doçura de algum beijo,
E a saudade que foi matreira por esses dias,
Dá-me a alegria, cada vez que eu te vejo;

Talvez não seja essa distância, nem o tempo,
Que ainda guarda o que ficou para um depois,
Juntaremos pedras pelas curvas dos caminhos...
E erguer um rancho com espaço pra nós dois.

Tendo um rincão, de primaveras afloradas...
Com sombra grande a água boa pra dois pingos,
Um parapeito bem de frente pra coxilha...
E uma tropilha enfeita as tardes de domingo.

Nas noites grandes um catre “bueno’ de pelego,
Um poncho novo para o frio das invernias...
O nosso amor que terás sonhos mais eternos,
Pelos invernos aconchegando nossos dias.

O teu corpo no meu corpo num só abraço,
Pequeno espaço que guardo por serem teus,
Quando a vida vir nos dar o maior presente,
E neste ventre, a florar, na luz de Deus.


ENTRE AQUI E CONFIRA ESSE LINDO VÍDEO E ESSA CANÇÃO 
http://www.lovefilms.com.br/portfolio/casamentos/86186-casamento-thaina-madruga-love-films 

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

8º Canto do Jacaquá - um encontro de amigos


Estaremos esperando os amigos poetas, músicos, cantores, compositores e deus familiares para mais um encontro de amigos, para bebermos das boas energias que o Santo Francisco de Assis e a natureza nos concedem, além de reencontrar com amigos e com a arte, nos dias 27, 28 e 29 de Janeiro de 2017, no Parque de Exposição do Sindicato Rural de São Francisco de Assis, a 2 kms da cidade, numa bela infra-extrutura com sombra e local para acampamento, além de um belo restaurante, onde faremos tudo para aconchegar os amigos e seus familiares.

O festival é de convidados e os que receberam convites e participarão do evento pagarão uma taxa de R$ 100,00 pila para os custeios da bóia, que boia campeira feita com maior carinho, nos 3 dias do evento, e no domingo um churrasco com 4 capões e costelão na brasa. 
Haverá uma boa copa no local com bebidas a preço de amigo, mas quem quiser levar o seu K-suco de casa, também não tem problema.
Haverão troféus para: TEMA LIVRE, MUSICAS DO TEMA, POESIAS e o TROFÉU XAIRA para aquele que ultrapassa os limites do bom censo e que todos fiquem sabendo que estando lá, já estará concorrendo a esse troféu, se não queres ganhar, nem participa.
Desde já agradecemos a presença de todos os amigos, e HASTA LA VISTA!

Premiação da 35ª Gauderiada da Canção Gaúcha


Marcelo Oliveira: Melhor Intérprete da Gauderiada
A 35ª Gauderiada da Canção Gaúcha, um dos mais importantes e longevos festivais de música do Rio Grande do Sul, aconteceu de 12 a 15 de janeiro em Rosário do Sul e destacou os seguintes trabalhos:

Primeiro Lugar: PRINCÍPIO
Letra: Gujo Teixeira/Evair Gomes
Melodia: Juliano Gomes
Interpretação: Adriano Gomes e Ita Cunha

Segundo Lugar: GOTA DE SOMBRA
Letra: Guilherme Collares
Melodia: Edilberto Bérgamo
Interpretação: Marcelo Oliveira

Terceiro Lugar: PERFIL
Letra: Anomar Danúbio Vieira
Melodia: Marcello Caminha
Interpretação: Pepeu Gonçalves, Anomar Danubio Vieira e Os Caminhas

Mais Popular: SENHORA VANERA
Letra: Anomar Danúbio Vieira
Melodia: Juliano Gomes
Interpretação: Ita Cunha

Melhor Tema Campeiro: PERFIL
letra: Anomar Danúbio Vieira
Melodia: Marcello Caminha
Interpretação: Pepeu Gonçalves e os Caminhas

Melhor Conjunto Vocal: GOTA DE SOMBRA - Marcelo Oliveira e Grupo
Melhor Melodia: MEU AMOR QUE ELA ROUBOU - Marcelo Oliveira
Melhor Instrumentista: RICARDO COMASSETO - Gaita Botoneira

Melhor Intérprete: MARCELO OLIVEIRA - Gota de Sombra
Revelação: RODRIGO COLLARES

Fonte: Jairo Reis

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Terno de Reis - Por Paixão Côrtes


A TRADIÇÃO É O PRESÉPIO

No período de festividades natalinas, que vai de 25 de dezembro a 06 de janeiro do próximo ano, festeja-se o nascimento de Cristo e a chegada dos Reis Magos junto a manjedoura, onde nasceu Jesus, após seguir a Estrela Guia que iluminou os caminhos à Belém.

O presépio, representação do nascimento de Cristo, é o símbolo do Natal, herança dos povos cristãos formadores do nosso estado, e a mais pura religiosa tradição gaúcha, o qual entendo que deveria receber a atenção dos verdadeiros tradicionalistas.

No mais é um cenário de neve, de renas, de trenós, e de pinheirinhos coloridos, de desenhos e figuras caricatas não cristãs, que servem pra antecipar os presentes que eram recebidos com a chegada dos Reis Magos, no dia 06 de janeiro.

Não é tradição herdada, é tradição criada e copiada, que os meios de comunicação divulgaram e globalizaram, só isso.


Mas, eu sigo, nos meus 89 anos, homenageando as dezenas de Terno de Reis que saem "tirando reses" neste período natalino pelo mais diferentes rincões do Rio Grande e do Brasil.

Este ano, meu Terno Virtual destaca nos seus versos o Presépio.
1980 Festival de Terno de Reis, Osório.

O meu Terno canta: 


Chegada Meu senhor, dono da casa
Peço licença pra cantar
Recebei este terno
O passado vem lembrar

Vimos lhe cantar os Reis
E também lhe visitar
Ô de casa, casa santa
Onde Deus veio habitar

Porta aberta, luz acesa
É sinal de alegria
Entra eu, entra meu terno
Entra toda a companhia.


Louvação 
 Quando entrei nesta sala
Vi um anjo em cada canto
Vi o presépio que é obra
Do Divino Espírito Santo

E nesse presépio oculto
Tão pobre de ostentação
Veio a luz o belo vulto
Que nos trouxe a salvação.

Já nasceu o Menino Deus
Numa lapa em Belém
Foram todos adorar
Adoraremos também

Reclinado num presépio
Cheio de glória e luz
Fruto da Virgem Maria
Era o Menino Jesus

Despedida Vamos dar a despedida
Como deu Cristo em Belém
Esse terno se despede
Até o ano que vem.

PEÇO QUE REENCAMINHE ESTE TERNO PARA QUE CANTEMOS EM OUTRAS CASAS ATÉ O DIA DE REIS (06 DE JANEIRO) PARA QUE REALIZEMOS A NOSSA “MISSÃO” DE “TIRAR RESES” E LOUVAR A CHEGADA DE JESUS, JUNTO AO PRESÉPIO.

MUITA PAZ E SAÚDE A TODOS ONDE ESTA MENSAGEM POSSA CHEGAR.

J.C. PAIXÃO CÔRTES E FAMÍLIA

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Minha Opinião!

Que os festivais andam precários e morrendo à míngua, todos sabemos. Que a verdadeira arte ha muito tempo deixou de ser feita, nós também sabemos, mas a Gauderiada, nessa sua 35ª edição, extrapolou todos os limites do "descaratismo" e não por culpa dos seus organizadores, mas de quem tem o poder da nota e faz dela uma falta de respeito com os demais músicos do Rio Grande do Sul e cuspe na cara de todos nós que vivemos na arte e que fizemos dela uma parte de nossa alma e de nosso sentimento. 
Se não gostas do que faço? pouco me importa, porque não faço músicas para músico. Se não tenho o nome que eles tem? também não me importo, porque diferente de todos eles, não vivo de música. 
Hoje todos nós somos conhecedores de música e todos, que vivemos no meio, sabemos o que pensam e como pensam a maioria dos músicos que ai estão, muitos deles reclamando nos meios de comunicação da falta de apoio dos governantes e dos órgãos responsáveis, mas como podemos colocar dinheiro publico para os amigos fazerem suas "orgias" musicais à custas do dinheiro do povo?
Como podemos querer a mudança de um Pais, se nos vendemos na arte?
Como podemos dizer para nos filhos que se prostituir é errado, se os músicos prostituem a arte?
Como podemos querer um tempo novo, um Pais novo, uma geração nova, se os formadores de opinião, que estão nos palcos, se vender por merrecas?
Como podemos não querer que entrem os "lixos" musicais do centro do Pais se o que fizemos é prostituição artística, conchavo de amigos e barganhas por minguadas platas?
A cada dia que passa me envergonho mais da forma como estamos fazendo arte nesse estado, e quando vejo o governo fechando instituições fundamentais, e o povo concordando, me dou conta que, o que estamos fazendo para as novas gerações?
A vergonha ou melhor, a falta dela, está tomando conta de nosso estado e a uma das poucas riquezas que nos sobrava, que era a cultura, estas sendo vendida a troco de nada. A iniquidade das pessoas estão fazendo com que tenhamos sim, que parar e repensar o que queremos, pois ha muito tempo que estão mamando na única vaquinha que resta, e infelizmente, mantando a míngua, depois não adianta chorar o leite derramado.
Que pena que a nossa arte tenha ido para esse lado. O maior de todos regulamentos é a consciência de cada um e a história que se pode escrever, boa ou ruim, depende qual lápis queira usar.  Porque para pessoas de caráter, não são necessárias regras e normas, basta um fio de bigode, se bem que ninguém mais usa.
Mas essa é a Minha Opinião.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

De Filho Pra Pai - Nilton Ferreira

Música Vencedora da XXIVª Tertúlia Musical Nativista de Santa Maria - DE FILHO PRA PAI - na bela interpretação de Nilton Ferreira -

35ª Gauderiada da Canção Gaúcha


35ª Gauderiada da Canção Gaúcha
28ª Gauderiada Mirim
De 13 a 15 de janeiro de 2017
Rosário do Sul/RS

INSCRIÇÕES:

a) Será no período de 10 de dezembro a 20 de dezembro de 2016;

b) Os trabalhos deverão ser enviados SOMENTE pelo website do Festival www.gauderiadadacancaogaucha.com.br, por meio do preenchimento do cadastro e anexando documento de texto com a letra (arquivo em PDF) e documento de áudio com a música (arquivo em MP3).

CONTATOS:
Paulo Fernandes (55) 99974-5341
Marcos Paulo (55) 99669-8793

REGULAMENTO - INSCRIÇÕES